A pressão para suprir a demanda mundial de alimentos, com o mínimo de impacto para o meio ambiente, desafia os sistemas de produção a ganharem produtividade e eficiência no uso dos recursos. O agronegócio responde hoje por mais de 20% do Produto Interno Bruto brasileiro.

Nesse contexto, o profissional de Zootecnia tem papel fundamental para, com o uso de tecnologia, otimizar a produção animal, o uso de recursos e o gerenciamento da fazenda. A Zootecnia de Precisão é uma das áreas de atuação do zootecnista.

No dia 13 de maio é comemorado o Dia do Zootecnista. A data marca a inauguração do primeiro curso de Zootecnia na cidade de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, em 1966.

Ao longo dos quase 50 anos a profissão se expandiu e hoje o Sistema CFMV/CRMVs conta com 8 mil zootecnistas atuantes entre os 13.500 inscritos.

O Brasil possui 112 cursos reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC) onde estudam 6.700 futuros zootecnistas.

A profissão abrange um conjunto de atividades e habilidades para desenvolver, promover e controlar a produção e a produtividade dos animais úteis ao homem, assim como as tecnologias dos produtos de origem animal.

“A Zootecnia é aquela ciência aplicada que trabalha para que haja melhora do animal em todos os aspectos, principalmente do posto de vista genético, de nutrição, de meio ambiente. Nosso desejo é que a Zootecnia possa continuar crescendo já que hoje é um fator de influência na economia do nosso país e na economia do mundo”, afirma o presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Benedito Fortes de Arruda.

Entre as áreas de atuação do zootecnista estão a nutrição e manejo alimentar dos animais de produção, pets e silvestres; melhoramento genético animal; agronegócio e cadeia produtiva; gestão das propriedades rurais; manejo e conservação de pastagens; ensino e pesquisa em produção animal.

E engana-se quem pensa que o zootecnista só atua em fazendas. Ele também está no Zoológico, em laboratórios, instituições de Ensino e Pesquisa, indústrias de ração, exposições e feiras agropecuárias, entre outros.

Assessoria de Comunicação do Conselho Federal de Medicina Veterinária