setembro 2016

Que a avaliação de resultados mensais dentro das fazendas é um fator importante todo pecuarista e produtor já sabe. Mas, segundo especialistas, existem alguns indicadores importantes que precisam de uma atenção especial na hora de se fazer uma avaliação de gastos e lucros em uma propriedade. O zootecnista Rodrigo Patussi falou sobre o tema para o portal DBO.

De acordo com Patussi, um dos indicadores que precisam ser avaliados é a produção de @/ha/ano, que relaciona o volume de animais que o produtor consegue manter em determinada área com o desempenho que eles têm.

“É falar, então, da lotação média anual no pasto, considerando o período das águas e da seca, com a produtividade do rebanho. Todos os indicadores – de reprodução, fertilidade, mortalidade, peso à desmama, por exemplo, – interferem nesse desempenho”.

Segundo Patussi, na hora de fazer o cálculo, o que o produtor precisará medir é quantas unidades animais (UAs) consegue manter em 1 hectare e qual a produção do rebanho em quilos.

“Ele tem que levantar quantas cabeças tem na propriedade no início e final de um período. Saber quantos animais comprou e quantos vendeu”.

Desembolso/cabeça/mês

Outro indicador relevante quando o assunto é lucro é quanto o produtor gasta mensalmente para manter seu rebanho na fazenda. Para Patussi, os maiores centros de custo estão associados a mão-de-obra permanente e insumos para o rebanho – destes, o maior gasto é com nutrição. Outros itens referem-se ao custo com pastagem (investimentos + manutenção), parque de máquinas (incluindo investimentos), administração, taxas e impostos.

Somado a este indicador, outro ponto importante para avaliação é a margem sobre a venda. De acordo com o zootecnista, o pecuarista deve buscar uma margem entre 25% e 30%, o que consegue controlando seus custos, já que não depende dele definir o preço da @.

“O recomendado é ficar o mais perto possível dos 25%, já que é bastante difícil alcançar os 30%”.

Fonte ABZ