Em sessão remota realizada nesta quarta-feira (23), o Senado Federal aprovou por unanimidade as mudanças da Câmara dos Deputados ao projeto que autoriza o uso de fábricas de imunizantes veterinários para a produção de vacinas contra a covid-19 (SCD ao PL 1.343/2021).

“São fábricas com tecnologia de ponta e biossegurança de primeiro mundo. Quando sancionada a lei, são previstas mais de 400 milhões de doses a serem produzidas em 90 dias. Isso significa milhões de vidas salvas com a vacinação. Os médicos-veterinários trabalhando pelo bem da humanidade”, comemorou o médico-veterinário Francisco Cavalcanti de Almeida, presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

O autor do projeto é o médico-veterinário e senador Wellington Fagundes (PL-MT). Ele ressalta que o objetivo é facilitar e estimular a utilização dessas plantas industriais para ampliar a oferta de doses da vacina e acelerar o processo de imunização da população brasileira. “Agora, o projeto segue para sanção do presidente da República, que já sinalizou ser favorável a iniciativa. Vamos resolver o problema das vacinas no Brasil”, garantiu o parlamentar.

De acordo com o texto, os parques fabris de imunizantes animais a serem utilizados deverão cumprir todas as normas sanitárias e as exigências de biossegurança próprias dos estabelecimentos destinados à produção de vacinas para humanos.

O controle e a fiscalização da produção das vacinas contra covid-19 serão feitos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Todas as fases relacionadas à produção, ao envasamento, à etiquetagem e à embalagem de vacinas para uso humano deverão ser realizadas em ambientes fisicamente separados daqueles usados para vacinas veterinárias.

Assessoria de Comunicação do CFMV, com informações do Senado Federal