Teve início no último domingo (22/05), em Paris, a 84ª Sessão Geral da Assembleia de Delegados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Os trabalhos seguem até a próxima sexta-feira (27/05). O Brasil é um dos 180 países membros da OIE.

O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Benedito Fortes de Arruda, e o Conselheiro do CFMV, Cláudio Deps, fazem parte da delegação brasileira.

Durante a cerimônia de abertura, o assunto mais comentado pelas autoridades de vários países foi a preocupação com a “resistência antimicrobiana” e seu impacto para a Saúde Única. Países como a França, por exemplo, limitam o uso de antibióticos como forma de promover a “defesa nacional e do bem público”.

“O uso de antibióticos de forma indiscriminada e sem nenhum controle tem causado grande preocupação mundial. A comercialização sem nenhuma exigência causa a resistência, promovendo uma situação que poderá se constituir em sério problema de saúde pública”, afirma o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda.

Presente no evento, a presidente da Organização Mundial de Agricultores, Evelyn Nguleka, destacou a importância da sanidade animal para o desenvolvimento dos países, sobretudo para os 60 milhões de pequenos produtores em países em desenvolvimento. Foi proposto um desafio para que, em 15 anos, a produção sustentável consiga acabar com a fome mundial. Além disso,  Evelyn Nguleka falou sobre a necessidade de mudanças na produção tradicional, com introdução de biotecnologias, em busca da eliminação da pobreza rural, aumento da produtividade e manutenção dos recursos naturais, como água e terra.

O presidente do CFMV conta que a falta de água e a mudança climática foram citados como um dos entraves para o desenvolvimento. “O papel do médico veterinário na produção futura de alimentos saudáveis, com alto teor proteico foi ressaltado pelos participantes”, disse Arruda.

A melhoria da saúde animal promove impacto na saúde humana, diminuindo as doenças dos animais e dos seres humanos, promovendo a saúde pública e alimentos saudáveis e inócuos. Neste sentido, para a Organização Mundial de Agricultores os antimicrobianos devem ser usados com cautela, uma vez que a resistência é uma preocupação mundial.

O Comissário Europeu para saúde e segurança alimentar, Vytenis Andriukaitis, falou sobre a importância da preocupação com bem-estar animal e segurança alimentar, além da residtência antimicrobiana, influenza aviária, mudanças climáticas e recursos naturais para alimentação. Tema também reforçado pelo presidente da Agência de Inspeção e Alimentos do Canadá.

84ª Sessão Geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE)

Realizado anualmente, o encontro de 2016 será uma oportunidade de adotar novas normas intergovernamentais em matéria de sanidade e bem-estar animal, além de permitir uma avaliação sobre o panorama mundial das enfermidades animais, incluindo zoonoses.

A 84ª Sessão Geral da Assembleia Mundial da OIE também apresentou aos países membros os princípios fundamentais da sua nova estratégia de luta contra a resistência aos antimicrobianos. O objetivo é preservar a eficácia dos antimicrobianos utilizados na Medicina Veterinária e ajudar a eficácia das moléculas utilizadas na Medicina Humana, proporcionando aos países as ferramentas necessárias para enfrentar o problema. Saiba mais sobre o assunto no site da OIE.

Saiba mais: OIE faz campanha para o uso responsável de antibióticos

Fonte Assessoria de Comunicação do CFMV