Por Carolina Menkes

A partir de 9 de setembro, Dia do Médico Veterinário, entrará em vigor uma nova versão do Código de Ética do Médico Veterinário. O documento foi aprovado pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) em plenária, no final de 2016.

O novo código de ética foi construído em conjunto com os Conselhos Regionais de Medicina Veterinária e também recebeu sugestões por meio de consulta pública.

A Resolução CFMV nº 1138 de dezembro de 2016, que aprova o Código de Ética do Médico Veterinário, foi publicada no Diário Oficial da União do dia 25 de janeiro. Desde então você acompanha uma série de reportagens sobre o assunto.

O novo código tem como um dos objetivos melhorar a relação entre os colegas de profissão, motivando maior solidariedade e cordialidade entre médicos veterinários de diferentes áreas.

Isso pode ser visto no Capítulo VI, que trata da “relação com outros médicos veterinários”, em que houve o acréscimo no artigo 10, do inciso VII, que estabelece ser “vedado desrespeitar as cláusulas dos contratos de sociedade ou as regras de contratos trabalhistas quando entre colegas”.

A ideia é gerar mais respeito entre os colegas e, com isso, a valorização da profissão. “Não podemos ver profissionais que ao atender um animal têm cem por cento de responsabilidade sobre o atendimento sendo que o colega fica com 75% dos valores cobrados. Acredito que com a mudança no código teremos uma relação mais saudável”, explica o presidente do GT criado para discutir o Código de Ética e conselheiro do CFMV, Nordman Barbosa.

Outra mudança é a do inciso VII, que veda ao médico veterinário “deixar de atender com cortesia colegas que necessite de orientação na sua área de competência”.

“Com isso o profissional vai saber que o colega não encara o outro com aspectos meramente corporativistas ou de concorrência e a sociedade terá a certeza de que o profissional valoriza a sua profissão e respeita o seu colega”, afirma Nordman.

Sobre a atualização do Código de Ética do Médico Veterinário, o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda, destaca a preocupação da entidade em acompanhar as evoluções em curso.

“Se nós estivermos nos atualizando constantemente, acompanhando a evolução do tempo, a modernidade e contemplando novas situações no nosso código de ética, nós estamos acompanhando par e passo tudo aquilo que ocorre na sociedade, e não nos encontraremos defasados em situações de mudanças da própria sociedade”, afirma Arruda.

Acompanhe a série de reportagens sobre o novo Código de Ética do Médico Veterinário e conheça as mudanças que irão fazer parte da vida dos profissionais a partir de setembro

Leia mais:

Resolução altera o Código de Ética do Médico Veterinário. Mudanças passam a valer a partir de setembro

Conheça as mudanças que buscam garantir melhor comportamento e responsabilidade do médico veterinário

Fonte CFMV (matéria acessada em 15/02/17)