Por Roberta Machado

O presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CNEMV/CFMV), Felipe Wouk, foi convidado pela Rádio Estadão para comentar o registo de cursos de Medicina Veterinária à distância. Em entrevista ao vivo nesta sexta-feira (03/02) ao programa Estação Urbana, Wouk ressaltou a importância do ensino prático para a formação do médico veterinário.

“Acreditamos que não é possível que um profissional venha a se formar em um curso integralmente à distância”, apontou o presidente da CNEMV. “Não nos colocamos contrários à metodologia do ensino à distância, mas ela possui limites para o seu emprego, notadamente no ensino de profissões na área de saúde, onde a formação prática do aprender fazendo em espaços vivenciais muito especiais, como hospitais, fazendas, e clínicas, é fundamental para a formação com segurança desses profissionais”, exemplificou.

Recentemente, um curso de bacharelado à distância oferecido por uma universidade de Santa Catarina foi incluído no sistema eletrônico dos processos que regulam a educação superior no Brasil (e-MEC).  O caso gerou grande repercussão e levou o CFMV a enviar um ofício ao Ministério da Educação (MEC), pedindo esclarecimentos sobre a autorização do funcionamento do curso.

“Isso nos causa estranheza, porque a Medicina Veterinária é uma profissão da área de saúde, juntamente com outros 13 cursos de graduação, entre eles Medicina, Odontologia e Enfermagem, e o Conselho Nacional de Saúde, que é um órgão vinculado ao Ministério da Saúde, em novembro do ano passado editou a Resolução nº 515 onde se mostra contrário a que todo e qualquer curso de saúde seja lecionado na forma de ensino à distância. Pelo prejuízo à qualidade da formação dos profissionais e dessa maneira o risco que isso representa à sociedade”, ressaltou Wouk.

Clique aqui e ouça a entrevista na íntegra

Saiba mais

CFMV envia ofício ao Ministério da Educação pedindo informações sobre registro de curso de Medicina Veterinária a distância

Fonte Assessoria de Comunicação do CFMV (matéria acessada em 03/02/17)