Com a chegada do dia das crianças, muitas famílias resolvem atender o pedido dos filhos e os presenteiam com um pet. No entanto, é preciso lembrar que adquirir um animalzinho é um compromisso sério e duradouro.

É de responsabilidade dos pais educarem a criança a respeitar os limites do animal e vice versa, para que a interação entre eles não se torne negativa, o que pode ocasionar uma situação de doação ou até mesmo abandono (dentro ou fora de casa).

De acordo com o especialista em comportamento animal, o Zoot. Tassys Veríssimo, presidente da Comissão Regional de Ética, Bioética, e Bem-estar Animal do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Paraíba (CRMV-PB), “a responsabilidade por um animal deve ser sempre de um adulto e as brincadeiras devem ser supervisionadas visando o respeito entre a criança e o pet, para que ambos não se vejam como objeto de entretenimento. Sabendo orientar as crianças, o convívio com animais de estimação é benéfico para o desenvolvimento cognitivo da criança e tem impacto positivo nas habilidades sociais, além de melhorar o bem-estar de ambos,” orienta Veríssimo.

A aquisição de um animal exige alguns cuidados: visitas regulares ao médico-veterinário, manter o cartão de vacinação atualizado, alimentar da maneira correta, deixar o ambiente limpo e adequado, e suprir algumas necessidades comportamentais, separando um tempo para brincar e passear com seu animal de estimação.