Os primeiros sintomas do câncer de mama em cadelas e gatas são o aparecimento de nódulos na glândula mamária. As lesões podem ser únicas ou múltiplas, de tamanhos variando de milímetros a vários centímetros e podem acometer uma ou mais glândulas de ambas as cadeias mamárias.  O exame feito por um médico veterinário vai revelar se o tumor é benigno ou maligno.

Minie, uma Basset de 14 anos foi diagnosticada com câncer de mama no ano passado. A proprietária Cecília Sica Cautiero, conta que foi durante uma consulta de rotina que o médico veterinário descobriu um nódulo na mama da cadela. Minie foi submetida à cirurgia para retirada de uma filera de mamas e foi castrada. Mas, recentemente, Minie apresentou dois novos nódulos, dessa vez,  no pescoço. Preocupada, Cecília a conduziu ao médico veterinário. “O problema era outro: um outro pequeno nódulo em outra mama que eu nem tinha percebido”, explica. A cadela foi submetida a uma nova cirurgia e passa bem.

“As consultas de rotina são muito importantes para descobrir as doenças em estágio inicial, proporcionando um tratamento mais rápido e a cura. E a confiança no médico veterinário oncologista Luiz Flávio Telles tem sido importante também”, afirma.

Outro animal que tem passado também pela luta contra o câncer de mama é uma gata que ganhou o nome de Secretária. “Ela foi jogada no quintal da casa de minha mãe muito pequena, e me escolheu como sua dona. Por isso seu nome – Secretária Maria –, pois aonde eu ia, ela ia atrás. Sua inteligência me chamou atenção”, diz a proprietária Sandra Mara Roberto Carlos.

Secretária, que tem 18 anos, deveria na verdade se chamar “Guerreira”. Ela já passou por cirurgias em 2008, 2012 e 2013. E, agora, no início de 2017, Secretária foi diagnosticada com mais 5 caroços, foi submetida à cirurgia e extraiu todas as mamas.

O oncologista Luiz Flávio Telles é também o médico veterinário responsável pela saúde da gata. Ele relata que Sandra postergou o tratamento da nova neoplasia mamária devido à insegurança e ao medo em perder o seu pet, que tem idade avançada.

“Quando Secretária apareceu na clínica, apresentava uma neoplasia com característica mais agressivas, porém sem sinais de metástase. O animal está em acompanhamento há mais de 1 ano, sem sinais de progressão da doença”, descreve Telles.

Agora, Secretária vai ao médico veterinário a cada três meses para avaliação. ”A vida dela melhorou após a cirurgia. Engordou e está bem mais tranquila”, conta a proprietária.

Câncer em cadelas e Gatas

Os tumores mamários são as lesões mais frequentes em cadelas e a terceira mais frequente em gatas.

Pesquisas realizadas no Laboratório de Patologia Comparada da UFMG (LPC) revelam que a maioria (85%) dos tumores mamários apresentam caráter maligno e cerca de 17% das cadelas são diagnosticadas já com estágio avançado, evoluindo para óbito em até 7 meses após remoção completa da mama. Os resultados sinalizam a importância da prevenção, bem como do diagnóstico precoce das enfermidades oncológicas, que, quando diagnosticadas tardiamente, podem comprometer o tratamento e reduzir a taxa de sobrevida desses animais.

Atualmente, sabe-se que fatores relacionados à idade, castração, tratamento com progestágenos, obesidade nos primeiros anos de vida e dieta baseada em comida caseira, são apontados como principais razões para o crescente da incidência deste tipo de neoplasias.

“O principal tratamento é através da remoção cirúrgica. Os tumores devem ser enviados para uma análise microscópica feita por um patologista veterinário. A avaliação do resultado desta análise pelo profissional irá determinar se existe a necessidade de complementação com outros tipos de tratamentos, como a quimioterapia”, explica Karen Nakagaki, Médica Veterinária Patologista.

Outubro Rosa PET

Em todo mundo, acontece, anualmente, durante o mês de outubro, a campanha Outubro Rosa. O nome remete a cor do laço rosa que simboliza a luta mundial contra o câncer de mama em humanos e estimula a participação da população, empresas e entidades.

Seguindo a mesma ideia, ocorre no Brasil, em outubro, o “Outubro Rosa PET”. A campanha tem a finalidade de promover a conscientização sobre o câncer de mama em animais de estimação e fornecer as principais informações sobre diagnóstico, prognóstico e tratamento aos proprietários.

Médicos veterinários de diferentes cidades do país participam da ação que envolve, além de exames clínicos, atividades de orientação. Em algumas cidades acontecem até palestras. Confira abaixo o calendário de eventos em vários estados brasileiros. Participe! Divulgue! Ajude a salvar uma vida!

A campanha é organizada pelo Laboratório de Patologia Comparada da Universidade Federal de Minas Gerais UFMG (LPC), e Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) garante o apoio na divulgação.

“As atividades foram divididas em equipes formadas por profissionais, professores, estagiários, graduandos e pós-graduandos. Folders já estão sendo divulgados nas redes sociais e panfletos serão distribuídos ao público e às clínicas veterinárias. Ao fim de cada exame clínico, o proprietário do animal receberá um kit com informações importantes” explica o coordenador geral da Campanha Outubro Rosa Pet, o médico veterinário Geovanni Cassali.

Leia Também

Outubro Rosa: Confira a programação da campanha de prevenção ao câncer de mama em animais

Outubro Rosa: Campanha alerta sobre prevenção de câncer de mama em animais

CFMV Entrevista: Médica veterinária Gleidice Lavalle fala sobre prevenção do câncer de mama em cadelas e gatas

Fonte CFMV (acesso em 22/10/17)