01 de agosto de 2016

O aprimoramento e a maior harmonização do ensino essencial da Medicina Veterinária entre todos os continentes são os objetivos principais das recomendações oficiais da 4ª Conferência Mundial sobre Educação Veterinária. O documento, divulgado recentemente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), é o resultado de três dias de debate entre 350 participantes de mais de 90 países, e será proposto oficialmente para os 180 membros da entidade na próxima Sessão Geral da entidade, em maio de 2017.

O encontro global sobre a educação em Medicina Veterinária foi realizado entre os dias 22 e 24 de junho em Bancoc, na Tailândia. O evento contou com a participação de representantes instituições de ensino, organizações privadas, instituições responsáveis pela acreditação dos programas educacionais, órgãos governamentais e organizações profissionais. O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Benedito Fortes de Arruda, o presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária (CNEMV) do CFMV, Felipe Wouk, e o ex-presidente da CNEMV/CFMV, o médico veterinário Rafael Gianella Mondadori, acompanharam a conferência.

Na lista que resume as conclusões da conferência, a OIE ressalta que ainda existe uma grande disparidade entre os estabelecimentos de educação veterinária através do globo, e reafirma seu compromisso de continuar ajudando os países membros a melhorar a qualidade da profissão veterinária a longo prazo e de maneira durável.

Uma das estratégias que podem ser adotadas para o cumprimento deste objetivo, de acordo com a entidade, é integrar ao ensino da Medicina Veterinária novas competências que não são do domínio exclusivo dessa profissão. Economia, liderança e comunicação são listadas pela OIE como algumas das ferramentas que podem ajudar futuros profissionais a corresponder às novas expectativas sociais e a lidar com proprietários de animais, entidades responsáveis pela formulação de políticas públicas e com o público em geral.

Mundo saudável

A OIE também salienta a importância da implantação de métodos inovadores de ensino para melhorar o acesso à educação inicial e continuada da Medicina Veterinária, e aponta a necessidade da formação e integração dos profissionais que trabalham sob a supervisão dos médicos veterinários. Entre as medidas propostas pela OIE está a definição de competências mínimas que possam ser aplicadas à formulação de um plano básico de formação desses profissionais.

“A profissão de veterinário pode contribuir muito para um mundo saudável e, portanto, o nosso mundo precisa de uma profissão veterinária saudável. Trabalhando em conjunto, os serviços veterinários oficias, os conselhos de medicina veterinária e os estabelecimentos de ensino da medicina veterinária devem promover o real valor do Médico veterinário na sociedade”, ressalta Monique Eloit, diretora-geral da OIE.

Confira aqui as recomendações da Conferência Mundial sobre Educação Veterinária

Leia mais: Conferência Mundial da OIE contou com palestra do presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária do CFMV

Saiba o que está sendo debatido na Conferência Mundial da OIE sobre Educação Veterinária

Fonte Assessoria de Comunicação do CFMV com informações da OIE