Há muitos anos, o conteúdo curricular dos cursos de medicina veterinária contempla o ensino de práticas, condutas o desenvolvimento de habilidades a partir de disciplinas voltadas para a prevenção de zoonoses, controle e erradicação de doenças infectocontagiosas, higiene e inspeção de alimentos de origem animal, assim como estrutura a sua atuação enquanto agente promotor de educação em saúde, fazendo do profissional médico veterinário um importante elo entre a saúde animal e humana.

Práticas da medicina veterinária direcionadas à coletividade e ainda ações preventivas, auxiliaram o processo de implantação de medidas tais como a quarentena, o sacrifício de animais enfermos, além do trabalho educacional junto aos respectivos proprietários, tudo isso visando a prevenção de enfermidades em humanos.

Vale ressaltar que o destaque para as ações do Médico Veterinário surge concomitantemente ao reconhecimento desse profissional como membro integrante de núcleos de pesquisas, onde havia parcerias entre médicos de humanos e médicos veterinários, os quais que realizavam pesquisas comparando a anatomia e fisiologia entre as espécies.

Em 1946, o termo Saúde Pública Veterinária passa a ser citado oficialmente com algo voltado ao bem-estar social humano, devendo proteger a vida, a partir da aplicação de conhecimentos da Medicina Veterinária preventiva, enfatizada nos saberes sobre epidemiologia.

Na década de 60, a epidemiologia é considerada a base da compreensão da Saúde Pública, sendo reconhecida como um dos vários campos de atuação do Médico Veterinário, o que lhes reconhece como um profissional apto a trabalhar com saúde populacional.

Em 1975, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lança o conceito de Saúde Pública Veterinária como sendo a totalidade de ações em prol da saúde humana, mediante a aplicação da Ciência Veterinária.

A capacitação de médicos veterinários nas áreas de Epidemiologia e controle de Zoonoses voltadas à prevenção e à vigilância, permitiu o acesso desses profissionais ao trabalho em Saúde Pública. Assim, o seu âmbito de atuação é representado pelo planejamento de programas de controle de zoonoses em agências de saúde pública por meio da aplicação dos seus conhecimentos em epidemiologia direcionados à saúde coletiva, podendo ocupar cargos técnicos e administrativos, assim como atuar na esfera da higiene e fiscalização de alimentos de origem animal, laboratórios e experimentos biológicos, bem como o ensino em saúde.

Dessa forma e, considerando ainda outros parâmetros que o qualificam tecnicamente com base em sua formação acadêmica, é plausível afirmar que o médico veterinário possui uma vastidão de alocações no âmbito da saúde em geral.

Ressalte-se, porém, que a falta de clareza e, porque não dizer a inépcia particularmente inerente a alguns grupos sociais, atribuídos em virtude do incauto olhar holístico, especialmente em tempos onde o conhecimento e a produção técnico-científica nos bate à porta incessantemente, causa um vexame sem precedentes desse país em relação ao resto do mundo, posicionando-nos em péssimos patamares no ranking do conhecimento em saúde e epidemiologia e, nesse momento, extremamente restrito àqueles que se dizem aptos e hábeis para opinar.

Assim sendo e, entendendo que o ilustre colega médico veterinário Dr. Lauricio Monteiro Cruz possui, não somente formação, mas também habilidade, conhecimento, técnica e o que mais faz-se necessário para atuação junto às funções relacionadas ao Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, entendemos que nada há de errado na nomeação e que o posicionamento contrário e desarrazoado de determinados grupos é sugestivo de que trata-se somente de posturas meramente oposicionistas com o intuito de causar abalos em um sistema de saúde que precisa, cada vez mais de pessoas competentes e comprometidas com a saúde e o bem-estar da população.

Nessa perspectiva, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Paraíba manifesta seu total apoio ao colega citado e, repudia impetuosamente qualquer postura contrária à nomeação, entendendo que há total condição para que o mesmo assuma e conduza com habilidade tais funções.

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DA PARAÍBA