Diariamente uma variedade de produtos como carnes, leite, ovos, peixe, mel, queijos são facilmente encontrados na mesa dos brasileiros e para garantir a qualidade desses alimentos contamos com o trabalho de médicos-veterinários e zootecnistas.

O médico-veterinário estuda os processos de obtenção de todos os produtos de origem animal, avaliando e controlando se a matéria-prima está adequada para a o consumo humano. Esse profissional deve estar presente em todas as etapas da produção animal para avaliar e controlar a qualidade do produto que chega à mesa do consumidor.

A Méd. Vet. Sanitarista Valéria Cavalcanti, presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Paraíba (CRMV-PB) explica que as pessoas precisam ter a consciência que as suas práticas alimentares impactam não somente a sua saúde, mas a do planeta e por isso é importante conhecer a origem dos alimentos, os processos de produção e os impactos ambientais causados por eles, “a fome atingi milhões de pessoas diariamente e para mudar esse cenário é preciso criar ações para evitar o desperdício alimentar, seja produzido ou desperdiçado, devido as práticas inadequadas do alimento”, enfatiza Cavalcanti.

Um bom alimento começa com uma boa produção. O zootecnista é o profissional habilitado para atuar na nutrição e alimentação dos animais de produção, atuando nas culturas, como bovinocultura, piscicultura, avicultura, caprinocultura e ovinocultura, entre outras, garantindo o bem-estar animal, a sustentabilidade ambiental e a segurança alimentar, é o que explica o Zoot. Tiago Araújo, professor e conselheiro suplente do CRMV-PB.

Sobre a data

O Dia Mundial da Alimentação é comemorado no 16 de outubro no mundo inteiro. Foi criado com o intuito de desenvolver uma reflexão a respeito do quadro atual da alimentação mundial. A data foi escolhida para lembrar a criação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em 1945.