A Coleção Nacional de Carrapatos “Danilo Gonçalves Saraiva” (CNC) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ) da USP, é considerada uma das maiores coleções de carrapatos da América Latina e da região Neotropical.

Com 3,5 mil frascos, com de um a mais de mil carrapatos cada, a coleção conta com 75 espécies catalogadas. Os médicos veterinários Marcelo Bahia Labruna e Thiago Fernandes Martins são os responsáveis pela curadoria da coleção.

               Foto: FMVZ-USP / divulgação

Segundo Labruna, cerca de 80% das espécies têm sido relatadas parasitando exclusivamente os animais silvestres no Brasil. Os 20% restantes podem ser encontrados parasitando os animais domésticos e o homem e representam uma grande parte das espécies presentes na Coleção Nacional de Carrapatos.

Importância médico-veterinária

No Laboratório de Doenças Parasitárias da Universidade, Martins iniciou o seu mestrado orientado pelo professor Labruna, criando uma chave taxonômica para identificação de espécies de ninfas de carrapatos do gênero Amblyomma. Carrapatos deste gênero são os mais importantes do país, uma vez que parasitam e transmitem agentes causadores de doenças para seres humanos. As chaves são utilizadas para classificar os carrapatos, garantido segurança na classificação da espécie de cada exemplar que chega à Coleção.

               Foto: FMVZ-USP / divulgação

Para Martins, a confecção da chave “foi um grande avanço na pesquisa no Brasil. Com isso, conseguimos identificar a importância na medicina humana e veterinária, se parasitam humanos, quem é o hospedeiro e a região geográfica no qual existe a ocorrência da espécie”.

Acesso e contribuição

Qualquer pesquisador ou aluno pode colaborar para o aumento do acervo. “Para que isso ocorra, é importante que os carrapatos coletados sejam preservados em álcool 70% ou 100% e acompanhados de informações como nome do hospedeiro em qual o carrapato foi coletado ou se o mesmo foi coletado em vida livre [na vegetação, solo, caverna], município e data da coleta”, afirma Martins.

Mais informações:

O Laboratório de Doenças Parasitárias funciona das 8h às 18 horas, de segunda a sexta-feira. O telefone é 55 11 3091-1446, e os e-mails para contato são labruna@usp.br e thiagodogo@hotmail.com .

Saiba mais

Confira a matéria completa no site da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ) da USP, clique aqui.

Fonte CFMV (matéria acessada em 09/05/17)