Foi confirmado na cidade de Riacho dos Cavalos, aproximadamente 430 km de João Pessoa, no sertão do Estado, um caso de raiva humana. A vítima, uma mulher de 68 anos que após ser atacada por uma raposa infectada, infelizmente evoluiu a óbito, segundo o Méd. Vet. Hudson Saldanha, veterinário que atua na Secretaria de Saúde do Município.

Ainda segundo o veterinário, outros dois homens entre 70 e 80 anos, também foram atacados por raposas, mas não foram contaminados pela doença.

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, transmitida pela saliva, arranhadura, lambedura ou mordedura de animais infectados, com 99% de letalidade. “É imprescindível que após o ataque do animal o paciente seja encaminhado ao órgão de saúde mais próximo para que sejam tomadas as medidas necessárias”, explica Saldanha.

Sobre os ataques o veterinário explica que as raposas normalmente não atacam, porém se estiverem à procura de alimento ou infectadas podem atacar, como forma de defesa. Outro fator pode ser a proximidade da zona urbana com a zona rural.

“O papel do médico-veterinário enquanto profissional da saúde pública é orientar a sociedade sobre a doença, sobre a importância da vacinação em animais domésticos, como cães e gatos” conclui Hudson.

Para o Chefe do Núcleo de Controle de Zoonoses da Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba, Méd. Vet. Assis Azevedo, “as pessoas devem evitar se aproximar ou tocar em animais estranhos, feridos e doentes, nem perturbá-los quando estiverem comendo, bebendo ou dormindo”. Assis reforça ainda que todas as pessoas agredidas por mamíferos (cães, gatos, bovinos, equinos, suínos, ovinos, morcegos, saguis, raposas…) devem procurar imediatamente o serviço de saúde próximo para receber as orientações devidas.

Assessoria de Comunicação CRMV-PB