Para orientar os médicos-veterinários que permanecem em atendimento durante o período de pandemia de covid-19, a Academia Brasileira de Medicina Veterinária Intensiva (Bveccs), em parceria com o grupo de estudos de Medicina Veterinária, da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), emitiu uma série de recomendações que visam amparar profissionais e tutores em condutas seguras e responsáveis, desde a triagem, até o atendimento presencial, domiciliar ou hospitalar.

Como a recomendação ainda é evitar aglomeração e manter em funcionamento os serviços veterinários de urgência e emergência, a nota apresenta uma tabela que auxilia a classificação de riscos, determinado os casos que demandam atendimento imediato e os que podem aguardar minutos ou horas, podendo até ser reagendados.

“Nossa intenção é minimizar o risco de entrada do vírus nos estabelecimentos de saúde, visando a proteção dos agentes sanitários, dos tutores e dos animais, estabelecendo uma triagem rigorosa e implementando as medidas de segurança e higiene sanitária”, afirma Rodrigo Rabelo, médico-veterinário da BVECCS.

ANEXO

Recomendações da BVECCS e Amib para atendimento veterinário durante quarentena da pandemia convid-19 Entidades orientam profissionais e tutores sobre condutas seguras e responsáveis, desde a triagem, até o atendimento presencial, domiciliar ou hospitalar

Assessoria de Comunicação CFMV