12 de abril 2016

O Responsável Técnico (RT), segundo o manual de responsabilidade técnica do CRMV/PB, é um agente da legalidade que visa garantir a saúde pública, o bem-estar animal e a qualidade dos produtos.

O curso oferecido pelo Conselho teve como objetivo capacitar e apresentar aos profissionais a importância e responsabilidade de ser um RT.

Conversamos sobre os cursos básicos de responsabilidade técnica com a Méd. Vet. Ana Caroline dos CRMV/MS.

CRMV/PB – Qual a importância destes cursos básicos nos Conselhos Regionais?

Ana – A introdução deste cursos básicos nos Conselhos é de grande valia, por que o curso básico em si dá um direcionamento mostrando a importância de ser um Responsável Técnico, que não é somente assinar para a empresa, mas sim, de se responsabilizar por tudo que acontece ali por que ele é o responsável da parte técnica. Então oferecer este curso mostrando isso para os participantes, para os que já são RT ou que vão ser RT de algum estabelecimento é muito importante, ao mesmo tempo em que o Conselho introduz documentos já existentes mostrando como utilizar para garantir um resguardo deste profissional nas suas atividades, buscando evitar problemas futuros como processos administrativos ou disciplinares.

CRMV/PB – Ao observar as discussões , você percebeu alguma semelhança  ou  diferença em relação ao Estado da Paraíba e do Mato Grosso do Sul?

Ana – Não tem diferença, o que eu percebi, foi que assim como o Mato Grosso do Sul teve o interesse de vários profissionais, dá pra ver pela quantidade de inscritos que se interessam pelo assunto e buscam cada vez mais se desenvolver na profissão e estarem amparados, então eles buscam o melhor de si, então é igual. Acho que hoje em dia a nossa profissão busca sempre melhorias e com o início destes cursos acho que o Conselho está no caminho certo.

CRMV/PB – Os problemas que eles relataram são semelhantes com os encontrados no MS?

Ana – É Semelhante, sempre semelhante. Claro que tem alguns problemas caracterizados da região, que são regionalizados, que lá não é tanto problema e aqui é, e vice e versa, mas em geral os problemas são os mesmos, só que nós temos soluções, tem como amparar os Responsáveis Técnicos e este é o intuito do curso. É importante deixar claro a diferença de um curso básico e de curso avançado, o curso básico o objetivo é este, mostrar para o RT a responsabilidade que ele está assumindo no momento em que decide ser responsável técnico de uma empresa, e para isto ele tem que cumprir certas formalidades no Conselho através de documentações e também se garantir na sua atividade mostrando o seu trabalho e evitando problemas, então o Conselho oferece documentos oficiais que vão garantir isto daí. Já um curso avançado que é dividido na sua especialidade, são cursos de acordo com cada ramo de atividade, cada área de atuação, é mais direcionado.

CRMV/PB – Falando em curso, qual foi o ponto principal no curso de qualificação realizada para os fiscais do Conselho?

A reciclagem. Sempre é bom reciclar, aprender novos conceitos e também fortificar e fortalecer aqueles que você já tem, ou corrigir alguma situação que você achava que estava correta e estava fazendo errado, então este curso dos fiscais foi bom pela troca de experiências e para mostrar situações que temos que garantir em uma fiscalização, sempre buscando a melhoria e a eficiência da fiscalização que é o ponto forte de qualquer Conselho.

Assessoria de Comunicação CRMV/PB