Já está publicado no Diário Oficial edital do Instituto Brasília Ambiental, IBRAM, edital de Chamamento Público para Organizações da Sociedade Civil (OSC) que queiram implantar e operacionalizar o primeiro Hospital Veterinário Público do Distrito Federal. O objetivo é atrair entidades de todo o Brasil interessadas em participar da parceria e colocar em funcionamento a unidade de saúde pública voltada exclusivamente ao atendimento veterinário. O prédio onde funcionará o HVEP, com 540 metros quadrados, localiza-se no Parque Largo do Cortado, em Taguatinga, e já está sendo revitalizado para receber o futuro Hospital.

Lá serão oferecidos serviços gratuitos de clínica, cirurgias, exames laboratoriais e outros tratamentos em cães e gatos. O atendimento público em saúde desses animais vem sendo reclamado pela população há mais de cinco anos, quando esse projeto pioneiro foi lançado.O investimento público previsto para o primeiro ano de atividade do HVEP, segundo o edital, é de um milhão de reais, mas a organização parceira que assumirá a unidade também pode captar recursos de outras fontes, desde que o objetivo seja aprimorar ou ampliar o atendimento dos animais. Com o hospital, o IBRAM pretende garantir o atendimento clinico e cirúrgico de pelo menos 60 mil cães e gatos a cada ano.

Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinet) mostrou que o Brasil já tem a segunda maior população de pets do mundo, com 22,1 milhões de felinos e 52,2 milhões de cachorros. A população de gatos se multiplica em maior proporção e deve predominar em menos de dez anos, alerta ainda o estudo. Ao retomar o projeto do HVEP, Brasília se antecipa a uma iniciativa que os governos de grandes cidades estão sendo obrigados a adotar, a exemplo de São Paulo, onde já existem três hospitais veterinários públicos, e Porto Alegre, que deve inaugurar o seu ainda este ano, avalia o secretario de Meio Ambiente do DF, Igor Torkaski.

Para o presidente doIBRAM, Aldo Fernandes, o hospital representa uma contribuição importante para a saúde pública, pois o convívio entre humanos e seus animais domésticos, sobretudo cães e gatos, é cada dia mais intenso, enquanto a população dessas espécies se expande. E exemplifica ao citar que, além no atendimento cirúrgico e clínico, os profissionais também vão orientar a população sobre boas práticas, normas e higiene dos animais, contribuindo assim para a promoção da guarda responsável de animais.

Outro aspecto destacado por ele é que também será possível o atendimento de animais domésticos maltratados, demanda muito frequente registrada pelo Instituto e pelas polícias militar e civil do DF, e que atualmente fica comprometida por falta de estrutura para assistência médica e destinação destes animais.  Além disso, no Distrital Federal a lei nº 4.060/2007, art. 3º, inciso V, considera maus-tratos deixar de prestar assistência veterinária a animal doente, ferido, extenuado ou mutilado, o que torna essencial a existência de serviços públicos veterinário.

CASTRAÇÃO – Nesse sentido de prevenção e controle do convívio crescente entre homens e animais domésticos, o DF já é um dos estados mais avançados do país. Desde 2015 o IBRAM conduz um amplo Programa de Manejo Populacional de Cães e Gatos. Chegando a castrar, gratuitamente, mais de 2,6 mil animais a cada ano, conforme informa o Coordenador de Fauna do Instituto, Almir Picanço Figueiredo, um dos técnicos envolvidos no projeto do HVEP.

O edital publicado nesta quinta-feira, que pode ser acessado AQUI, está sendo divulgado pelo IBRAM em todo o Brasil. O objetivo, segundo a superintendente de Áreas Protegidas do IBRAM, Lélia Barbosa de Souza Sá, é que se tenha a mais ampla participação possível dos potenciais parceiros, uma forma, no seu entender, de se conseguir propostas mais bem elaboradas e vantajosas para o governo. Embora não se exija contrapartida delas, a instituição que se dispuser a atrair outros investimentos e novos parceiros, por exemplo, será mais bem avaliada, explica ela.

Texto de Autoria do IBRAM
Instituto Brasília Ambiental (IBRAM)
(61) 3214-5624 / (61) 99227-2710 / www.ibram.df.gov.br