13 de abril de 2016

O I Fórum das Comissões Nacional e Regionais de Animais Selvagens do Sistema CFMV/CRMVs teve início nesta terça-feira (12/4), em Brasília (DF). Participam do encontro representantes dos Conselhos Regionais do Maranhão, Pará, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraíba, Santa Catarina, Minas Gerais e Distrito Federal, além dos integrantes da Comissão Nacional de Animais Selvagens do CFMV.

“Este é o momento para criarmos uma única voz entre as comissões e pensarmos ações conjuntas pelo bem dos animais selvagens e dos que estão em cativeiro”, afirmou o integrante da CNAS/CFMV, João Luiz Rossi, responsável pela primeira palestra do evento.

A CNAS/CFMV ressaltou a importância das comissões regionais de animais selvagens de forma a contribuir para divulgar a atuação dos profissionais de Medicina Veterinária e Zootecnia na área, fortalecer a responsabilidade técnica e promover uma maior integração entre os estados.

Fiscalizações Preventivas Integradas

O integrante da CNAS/CFMV, Isaac Albuquerque, relatou sua experiência nas Fiscalizações Preventivas Integradas (FPIs) do estado de Alagoas. O objetivo da FPI é diagnosticar os danos ambientais em municípios dependentes do Rio São Francisco e adotar medidas de prevenção ao meio ambiente.

“Essa iniciativa começou na Bahia e hoje esperamos que todos os estados façam suas FPIs. Hoje temos muitos médicos veterinários inseridos nas equipes”, relata Albuquerque.

Nas quatro edições do FPI de Alagoas, foram resgatados 6400 animais silvestres, apreendidas armas e apetrechos de caça, além de realizadas ações de educação ambiental com a população.

Medicina da Conservação

Durante a tarde, a médica veterinária Valéria Natascha, integrante da CNAS/CFMV promoveu uma reflexão sobre as ações das comissões para promover a medicina da conservação e abordou a atuação multidisciplinar em prol da Saúde Única.

A integrante da CNAS/CFMV falou sobre a importância da educação ambiental, do acompanhamento local e global, da pesquisa, identificação e contingência de crises, estudo epidemiológico de doenças emergentes, além de uma reflexão sobre a ação do homem no planeta.

“O que nós profissionais podemos fazer nesse sentido? Buscar a capacitação, a responsabilidade técnica, aumentar a comunicação entre os profissionais da área, disseminar conhecimento, valorizar a área de atuação e apoiar as pesquisas”, afirma Valéria Natascha.

Responsabilidade técnica

A responsabilidade técnica e legislações na área de animais selvagens foi assunto da palestra da médica veterinária Débora Ferreira, integrante da CNAS/CFMV.

“O responsável técnico tem uma atividade de relevante valor social. Se o estabelecimento não está adequado, é dever do RT propor normas de adequação “, afirmou.

Débora Ferreira também alertou sobre as principais irregularidades no preenchimento da ART, como “não comparecer na empresa, não se capacitar para prestar um serviço de qualidade, cobrar menos pelos serviços prestados, não tomar conhecimento das legislações e não comunicar ao CRMVs as irregularidades que acontecem no setor”, finalizou.

Experiências compartilhadas

Entre as dificuldades relatadas por cada estado, estão a pouca participação de profissionais e estudantes em eventos da área; a ausência de disciplinas de animais selvagens em algumas Instituições de Ensino Superior; a deficiência de legislações na área; a relação deficitária com órgãos ambientais; e a baixa participação de médicos veterinários de animais selvagens em ações de fiscalização, entre outras.

A médica veterinária Luisa Rocha da Silva (CRMV-DF) destacou também a importância da atuação na área rural das cidades, com a realização de ações de conscientização entre a população, com o objetivo de evitar casos de atropelamento e caça.

O I Fórum das Comissões Nacional e Regionais de Animais Selvagens do Sistema CFMV/CRMVs continua nesta quarta-feira (13/04).

Leia mais: http://portal.cfmv.gov.br/portal/noticia/index/id/4580

Fonte Assessoria de Comunicação do CFMV