Uma pesquisa científica realizada por uma estudante de zootecnia vem ganhando destaque na mídia do Amazonas. A investigação é da acadêmica Lorena Ianka Pontes da Silva, estudante da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). O projeto investigou o uso de suplementação de vitamina tiamina (B1) na nutrição de peixes jovens da espécie tambaqui no Estado.

Sob orientação do pesquisador da Embrapa da Amazônia Ocidental, Jony Koji, Lorena percebeu com a pesquisa a inexistência do efeito da suplementação de tiamina (B1) no desempenho animal. Entretanto, foi possível verificar diferenças significativas entre os níveis de carboidratos.

“Peixes alimentados com a dieta de 35% de carboidratos apresentaram maior ganho de peso”, explicou Lorena.

Como proposta principal, a pesquisa pretendia determinar a capacidade de juvenis de tambaqui utilizarem a suplementação B1 para otimizar o aproveitamento do carboidrato. Segundo Lorena e Koji, ingredientes que contêm este nutriente apresentam de forma geral um custo menor e podem diminuir o preço da ração para o tambaqui.

“O tambaqui é um peixe onívoro, cuja literatura aponta que peixes onívoros possuem maior capacidade de digestão de carboidratos se comparado a peixes carnívoros. É a espécie nativa mais criada no país e tem grande mercado consumidor no Estado do Amazonas, particularmente em Manaus. Suplementar a nutrição da espécie pode proporcionar ganhos no desempenho zootécnico e diminuir os custos de produção”, disse Lorena.

A universitária acrescentou que a suplementação foi realizada apenas com juvenis de tambaqui porque nesta fase inicial a curva de crescimento da espécie apresenta um comportamento exponencial.

“Experimentos de nutrição realizados neste período demonstram resultados mais rapidamente”.

Fonte ABZ