16 de março de 2016

A qualificação profissional e os desafios que surgem aos médicos veterinários em decorrência dos novos tempos fazem parte das preocupações do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

Atento às discussões mundiais e que também contribuem para a profissão no Brasil, o CFMV participou entre os dias 4 e 7 de março da Conferência Anual da Associação Americana das Escolas de Medicina Veterinária (Association of American Veterinary Medical Colleges), nos Estados Unidos.

O encontro teve como tema “o futuro da Medicina Veterinária” e debateu assuntos como Saúde Única, zoonoses, ensino da ética profissional, inter-profissionalismo, mudanças curriculares, educação continuada, acreditação nacional e internacional, política profissional, entre outros.

O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Benedito Fortes de Arruda, considera que a Medicina Veterinária brasileira deve atuar como protagonista no cenário mundial.

“O Brasil com um contingente de Instituições de Ensino Superior da Medicina Veterinária extremamente significativo, com destaque na produção de proteína de origem animal, animais de companhia, Medicina Veterinária esportiva, dentre outras, não pode ser caudatário de outros países”, afirma Arruda.

O presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária do CFMV, Felipe Wouk, considera que o momento é de grandes mudanças no ensino da profissão, principalmente em decorrência da evolução da sociedade. Felipe Wouk lembra que, no passado, a Medicina Veterinária era fundamentalmente a “medicina do cavalo”, pela importância do animal no transporte de pessoas, no trabalho no campo e nas guerras.

“Hoje e no futuro nossa profissão é importante para a segurança alimentar, na prevenção e combate de zoonoses, e na saúde animal e do homem. Vivemos um mundo em constante mudança e as instituições de ensino precisam se reinventar”, afirma Wouk.

Em um mundo onde tudo está conectado, a capacidade de interagir com outros profissionais torna-se imprescindível, assim como atributos de liderança.  Neste sentido, o CFMV está alinhado com as demandas atuais, ao desenvolver o Projeto Estratégias de Ensino-aprendizagem em parceria com Instituições de Ensino Superior para o desenvolvimento das competências humanísticas.

“Foi muito importante conhecer várias estratégias que vem sendo discutidas para as mudanças no ensino da Medicina Veterinária nos Estados Unidos. Elas nos subsidiarão em nossas ações em parceria com Instituições de Ensino, com o Ministério da Educação e da Agricultura, em prol da qualidade do ensino da Medicina Veterinária no Brasil”, afirma Wouk.

CFMV em ação

O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Benedito Fortes de Arruda, e o presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária (CNEMV/CFMV), Felipe Wouk, conversaram com a presidente da Associação Mundial de Medicina Veterinária, René Carlson. O momento serviu para a discussão de estratégias de acreditação e para apresentação das ações do CFMV para a melhoria do ensino e da qualificação profissional do médico veterinário brasileiro.

Esses assuntos também foram tratados durante reunião com o presidente da Associação Americana das Escolas de Medicina Veterinária (AAVMC), Andrew Maccabe e com a representante da Associação dos Médicos Veterinários dos EUA, Elizabeth Sabin.

“Evoluir significa estar aberto a mudanças e praticá-las. Temos que estar acompanhando a par e passo, não só em termos de tecnologia, mas também em inovação, para atendermos aos anseios das demandas da sociedade”, conclui o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda.

Saiba mais: http://portal.cfmv.gov.br/portal/noticia/index/id/4559/secao/6

Fonte Assessoria de Comunicação do CFMV