01 de setembro de 2016

Por Carolina Menkes

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) participou, nos dias 30 e 31 de agosto do Seminário de Nivelamento de Informações e Conhecimentos sobre a Invasão de Javalis no Território Nacional, que ocorreu em Brasília, na sede do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIo). O evento teve como objetivo subsidiar e nivelar o entendimento das diversas entidades que atuam com o controle e manejo de javalis no Brasil.

O encontro também buscou reunir as informações disponíveis para a elaboração do Plano Nacional de Prevenção, Controle e Monitoramento do Javali (Sus scrofa) em Estado Asselvajado no Brasil.

A integrante da Comissão Nacional de Animais Selvagens (CNAS) do CFMV, Valéria Natascha Teixeira, participou de mesa redonda que abordou as diferentes perspectivas sobre o manejo do animal.

“O médico veterinário lida com a saúde humana por meio da saúde dos animais e do meio ambiente, por isso é importante lidar com o manejo do ponto de vista humanitário”, afirma.

Foto: Ascom/CFMV

O bem-estar, segundo ela, deve ser pensado de forma integrada. “O ponto de vista humanitário também inclui pensar na proteína animal, por exemplo, já que a carne pode servir de alimento para muitas pessoas”.

O bom manejo deve ser praticado ainda no pré-abate, explica Teixeira. “Isso inclui lidar com o animal de forma tranquila, evitando perdas e produzindo uma carne eficiente”, diz.

Entre as medidas recomendáveis para uma perspectiva mais humanitária, estão o treinamento dos envolvidos, a atenção e o cuidado, o uso de equipamentos apropriados e a comprovação da capacidade de realizar o abate.

A importância do abate sanitário também foi destacada pela integrante da CNAS/CFMV, já que sua adoção diminui o risco de doenças para a saúde humana.

Ação integrada

Para a integrante da Coordenação de Fauna Silvestre do Ibama, Graziele Batista, os métodos de manejo são complementares “Tudo depende do objetivo do manejo, da redução de danos e da unidade de conservação, além da avaliação da paisagem, dos aspectos ambientais, dos plantios e recursos”, explica.

A representante do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, Vânia Nunes, destacou em sua palestra que os programas de controle e manejo dos javalis devem ser multiprofissionais e ter monitoramento constante dos resultados.

Já o representante da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo, Gilmar Ogawa, ressaltou que a legislação sobre o tema ainda é complexa e desconhecida. “É preciso disponibilizar mais orientação e informações aos produtores rurais, com regulamentação da questão sanitária”, afirmou.

Foto: Ascom/CFMV

Participaram ainda da mesa redonda o representante do Sindicato Rural de Santana do Livramento (RS), La Hire Mendina Filho, e o representante da Associação Goiana de Caça e Conservação, Daniel Terra.

O evento contou ainda, durante os dois dias, com apresentações estudos de caso e iniciativas de controle do javali e palestras sobre o panorama do manejo do javali no país, princípios básicos sobre invasões biológicas, histórico da invasão e distribuição do javali no país, prejuízos socioeconômicos e sanitários, legislação e fiscalização ambiental, entre outras.

Leia mais: CFMV contribui para o Plano Nacional de Prevenção, Controle e Monitoramento dos Javalis

Fonte Assessoria de Comunicação do CFMV com informações do Ibama