Temperatura alta, ocupação irregular do solo e crescimento urbano aliado ao fluxo de material de construções, esses são os principais motivos relacionados ao aparecimento de escorpiões no Distrito Federal, segundo Rogério Lange, Presidente da Comissão Nacional de Animais Selvagens do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). Conforme o Boletim de Informativo de Vigilância Ambiental em Saúde, apenas no primeiro trimestre de 2014, de um total de 436 solicitações referente a escorpiões, as regiões com maiores registros são Asa Norte com 55 (12,6%), Taguatinga com 48 (11%) e Guará com 45 (10,3%).

Lange explica que simples atitudes podem evitar grandes problemas. “Não acumular resíduos, não deixar plantas muito próximas às paredes, durante as obras é importante manter materiais como tijolos e tenhas devidamente guardados, evitar tacos soltos no chão e, se possível, colocar vedas na porta de entrada da casa são gestos que podem impedir o aparecimento dos escorpiões”, conclui o médico veterinário.

Ainda no Boletim, mais de 50% das solicitações recebidas foram em ocorrência em casas e em grande maioria por aparecimento do escorpião amarelo. “Esses invertebrados caracterizados pela cor amarela podem ser encontrados em todos tipos de imóveis como casas, apartamentos, chácaras e vias públicas. É importante tomar algumas medidas dentro das residências para evitar o aparecimento desses animais que, além de serem grandes causadores de acidente graves, também estão ligados a registros de óbitos”, explica Dr. Rogério Lange.

Confira abaixo algumas dicas de prevenção:

·         Não colocar a mão em buracos no solo e fendas em árvores;

·         Não deixar acúmulo de resíduos;

·         Manter a casa sempre limpa;

·         Em caso de obras, não deixar madeiras, telhas e tijolos espalhados;

·         Colocar vedas na porta principal de entrada da casa.

Assessoria de Comunicação do CFMV