09 de janeiro de 2015 – Em formato de quadrinhos, o livreto conta a história de “Inocêncio, o fazendeiro”, um pecuarista que é enganado por um suposto vendedor de produtos veterinários. No desenrolar da trama, Inocêncio e outros fazendeiros começam a perceber seus animais doentes por conta de medicamentos falsos e só percebem que foram trapaceados quando vão até um médico veterinário.

A cartilha tem por objetivo informar e educar todos os elos da cadeia produtiva de proteína animal sobre os riscos e os malefícios do uso de medicamentos veterinários falsificados, contrabandeados, sem registro e formulações caseiras. O material faz parte da Campanha Antipirataria de Produtos Veterinários lançada, ano passado, pelo Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (SINDAN), com o apoio de 17 entidades do setor, entre elas os Conselhos Regionais de Medicina Veterinária do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

De acordo com informações da assessoria de imprensa do SINDAN, a campanha pretende reduzir o espaço dos produtos comercializados de forma ilegal, que hoje representam em torno de 15% do segmento de saúde animal, ou cerca de R$ 600 milhões anualmente.

Abaixo, a versão em .pdf

Compêndio de Produtos Veterinários

O Compêndio de Produtos Veterinários é referência para consultar o registro de produtos veterinários, relata o SINDAN. As entidades do setor de saúde animal que apoiam a Campanha Antipirataria disponibilizaram, no endereço http://www.denuncieprodvetpirata.org.br, o acesso ao Compêndio de Produtos Veterinários. O objetivo é permitir que produtos sejam consultados para verificação de seu registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O portal oferece também sigilo às denúncias sobre empresas e sites da Internet que comercializam produtos de uso veterinário ilegais.

Assessoria de Comunicação do CFMV, com informações do Sindan e do portal do CRMV-PR