Cinco médicos-veterinários, todos ex-presidentes de Conselhos Regionais de Medicina Veterinária (CRMVs), passarão a contribuir para a profissão com suas experiências e conhecimentos na Câmara Técnica de Medicina Veterinária do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CTMV/CFMV). A cerimônia de posse dos integrantes ocorreu na sede do CFMV, em Brasília, hoje (9/6), e teve a participação dos diretores do Federal e de integrantes da Câmara Técnica de Zootecnia.

Fórum qualificado de assessoramento técnico-consultivo e político-institucional do CFMV relativo à Veterinária, a recém-empossada câmara é composta por Mário Eduardo Pulga (CRMV-SP); Cícero Araújo Pitombo (CRMV-RJ); João Vieira de Almeida Neto (CRMV-MS); Domingos Fernandes Lugo Neto (CRMV-PB); e José Renato Ribeiro (CRMV-AP). O grupo poderá propor políticas de atuação profissional e de regulamentação do ensino, formação e exercício da profissão, bem como recomendar trabalhos que compreendam a relação formação/perfil profissionais e mercado de trabalho, entre outras atribuições.

O presidente do CFMV, Francisco Cavalcanti de Almeida, conduziu o evento e agradeceu aos empossados pela parceria. “Com as Câmaras Técnicas, vamos dar sequência às  resoluções, normas e manuais, cumprindo o nosso papel de normatizar, fiscalizar, orientar, valorizar o profissional, assim como promover a organização das classes. Estamos sendo consultados por órgãos governamentais e instituições sobre assuntos que envolvem as profissões.  Foco na valorização e ensino em benefício da sociedade ”, disse.

Com a palavra, os diretores:

Ana Elisa Fernandes de Souza Almeida, vice-presidente do CFMV

“Precisamos avançar em questões vitais para o fortalecimento das profissões, ter nossos profissionais valorizados e reconhecidos. Nosso país hoje depende do agro. Vamos discutir e chegar a um consenso de forma equilibrada.”

José Maria dos Santos Filho, tesoureiro do CFMV

“O trabalho da Câmara é muito importante para o Sistema, pela excelência dos trabalhos técnicos que seus membros têm a desempenhar, atender às demandas da sociedade e elevar o nome do CFMV e da classe.”

Com a palavra, a Câmara Técnica de Medicina Veterinária

Mário Eduardo Pulga, presidente

“Em 55 dias, deixarei a presidência do CRMV de São Paulo, agora irei colaborar com o engrandecimento do Sistema e das classes. Há temas relevantes a serem debatidos, que trataremos de forma honesta e transparente. São assuntos importantes, que afetam a vida do colega que está na ponta. Vamos trabalhar e cooperar no que for preciso.”

Cícero Araújo Pitombo

“Vivemos um momento difícil no país. Temos de ser cuidadosos sobre como nos posicionamos, pois pode haver consequências, entender a realidade do profissional e focar no futuro. Vamos buscar soluções, pacificar alguns temas e dar dinâmica ao Sistema; como também melhorar a percepção da sociedade sobre os profissionais. ”

João Vieira de Almeida Neto

“O maior desafio da Medicina Veterinária no Brasil é o ensino. Vamos evitar que o lobby das empresas de ensino possa tomar conta das profissões e da formação. Investir em publicidade também é importante, mostrar o que o profissional faz. Mas há outro desafio: hoje, há várias outras profissões querendo tomar espaço da Medicina Veterinária e atuar no que somente os médicos-veterinários têm competência e conhecimento.”

Domingos Fernandes Lugo Neto

“Hoje, acho importante a questão da saúde mental do profissional. Vamos recuperar o tempo perdido com a pandemia. Muitos médicos-veterinários não pararam e colocaram suas vidas em risco.”

José Renato Ribeiro

“A Câmara entende que o ensino é uma grande preocupação. Vamos reorganizar normas  que envolvem a profissão. Neste momento, lembro de colegas próximos que se foram nesta pandemia e estavam exercendo suas atividades. Isso me emociona.”

Assessoria de Comunicação do CFMV