26 de abril de 2016

Para quem opta pela área de Zootecnia, alguns segmentos do mercado de produção animal não poderiam estar melhor. Conforme destaca o professor Edvaldo Antonio Garcia, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), o Brasil é, atualmente, o maior exportador de carne de frangos do mundo e o terceiro em produção deste tipo de animal. Além disso, o país está em sétimo lugar em produção de ovos e é o quarto em produção de carne suína, bem como segundo na produção de carne bovina.

“A indústria ‘pet’, incluindo principalmente cães e gatos, tem mostrado também acentuado crescimento nos últimos anos. Além disso, ocupamos a 10° posição mundial na produção de mel. Enfim, temos um mercado interno grande e um externo em plena expansão. Com isso, há a exigência de um profissional em Zootecnia extremamente capacitado e diferenciado”, explica o professor Edvaldo.

Mas quais são as regiões do país que mais absorvem a mão de obra do zootecnista?
Segundo a professora Simone Fernandes, também da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp, as regiões Norte e Centro-Oeste demandam esse tipo de profissional, que trabalha com atividades de bovinocultura de corte, aves e suínos, pois são áreas de grande produção de grãos. “Na Região Sudeste, temos o zootecnista atuando na produção de leite e na Região Sul na produção de suínos”, destaca.

Já na Região Nordeste, as oportunidades na área de Zootecnia são referentes à criação de caprinos, ovinos e avestruzes, bem como a de peixes e camarões. No outro extremo do país, na Região Sul, bem como nos estados de Mato Grosso e Rondônia, há vagas para atuar em fazendas e propriedades rurais, nas quais há necessidade de planejamento rural e de saúde animal.

Com o crescimento da demanda por carne orgânica, que requer uso controlado e restrito de hormônios e medicamentos nos animais, por exemplo, aumenta também a procura por zootecnistas. Alem de laboratórios de pesquisa e biotecnologia, Simone lembra que esse profissional pode atuar em fábricas de ração, englobando pequenos e grandes animais; e em frigoríficos, incluindo empresas de exportação de produtos de origem animal.

Diante de um mercado tão diversificado, e espalhado por todo o país, quais são os tipos de especialização que o zootecnista deve fazer para agregar valor à sua profissão? Com relação a essa pergunta, Simone aponta que o profissional deve optar por especializações nas áreas do agronegócio, administração, MBA, marketing, bem como em informática, já que muitas empresas atuam no desenvolvimento de softwares de gestão específicos para a área.

Fonte sindpzoo.org (12/02/06)