No dia 18 de agosto, o canal do YouTube Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) foi palco do debate “Medicina Veterinária e os Desafios da Leishmaniose Visceral no Brasil”.

Moderados pelo presidente da Comissão Nacional de Saúde Pública Veterinária do CFMV (CNSPV/CFMV), Nélio de Morais, os médicos-veterinários Francisco Edilson de Ferreira Lima Júnior (integrante da Comissão), Mary Marcondes (co-presidente da Comissão Científica da Associação Mundial de Pequenos Animais SC- WSAVA) e Vitor Márcio Ribeiro (vice-presidente do BRASILEISH – grupo de estudo em leishmaniose animal e conselheiro da Anclivepa de  Minas Gerais) compartilharam suas experiências e novidades sobre o assunto.

Confira, aperte o Play:

Sobre a Doença

A leishmaniose visceral (LV), conhecida popularmente como calazar ou febre dundun, é uma zoonose sistêmica causada por um protozoário do gênero Leishmania, transmitido aos humanos e outros animais no Brasil por meio da picada da fêmea de insetos (flebotomíneos) do gênero Lutzomyia, que se infectam ao se alimentar do sangue de animais infectados, principalmente os cães no Brasil.

Nas Américas, a LV é uma zoonose de ampla distribuição, endêmica em 12 países. Segundo a Organização Pan-americana da Saúde (OPAS/OMS) cerca de 3.500 casos novos são registrados anualmente. Desses, 96% ocorrem no Brasil.

Segundo dados do Ministério da Saúde do Brasil, a doença em humanos está amplamente distribuída no território, ocorrendo nas cinco Macrorregiões, em 23 dos 27 estados da Federação. Em 2018, foram registrados 3.466 da doença em humanos e 289 óbitos.

Em relação aos cães, existe registro de casos autóctones em 25 dos 27 estados da Federação.

MODERADOR

NÉLIO MORAIS – Médico Veterinário. Presidente da CNSPV/CFMV e Coordenador de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza

DEBATEDORES

1. FRANCISCO EDILSON FERREIRA DE LIMA JÚNIOR – Médico veterinário. Integrante da CNSPV/CFMV e coordenador-geral substituto de Vigilância de Zoonoses e Doenças de Transmissão Vetorial/SVS/Ministério da Saúde.

2. MARY MARCONDES –  Médica veterinária. Livre-docente em Clínica Médica de Pequenos Animais pela Faculdade de Medicina Veterinária da UNESP (FMV-UNESP), Araçatuba, São Paulo. Integrante do Grupo de Diretrizes de Vacinação de Cães e Gatos da Associação Mundial de Pequenos Animais. Co-presidente da Comissão Científica da Associação Mundial de Pequenos Animais (SC- WSAVA).

3. VÍTOR MÁRCIO RIBEIRO – Médico veterinário. Professor adjunto IV da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em Doenças Infectocontagiosas de Cães e Gatos. Vice-presidente do BRASILEISH – grupo de estudo em leishmaniose animal e conselheiro da Anclivepa Minas Gerais.

Assessoria de Comunicação do CFMV