A avicultura é um dos pilares do agronegócio brasileiro. Atualmente, mais de 150 países importam carne de frango brasileira. Em 28 de agosto, Dia da Avicultura, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) reconhece o importante papel de médicos veterinários e zootecnistas que se dedicam a essa área, proporcionam segurança alimentar e garantem a excelência em genética, sanidade, manejo, bem-estar, sustentabilidade e ambiência, às granjas brasileiras – capazes de manter o Brasil como líder mundial em qualidade da avicultura.

O Brasil é um dos países reconhecidos internacionalmente como “Celeiro do Mundo”. O clima favorável, os extensos campos de grãos e os solos férteis alçam o país ao patamar de parceiro da segurança alimentar de diversas nações. Essa relevância é resultado dos investimentos em excelência tecnológica. Somos o terceiro maior produtor de carne de frango do mundo, o que representa a exportação de aproximadamente quatro milhões de toneladas aos cinco continentes. Anualmente, isso é cerca de um terço de tudo o que o país produz.

Recentemente, uma série de desafios se impuseram a esse mercado: a suspensão de importações da mercadoria brasileira pela União Europeia, a criação de novos critérios halal (abate conforme os preceitos islâmicos) por países árabes, a aplicação de medidas equivocadas antidumping pela China e, ainda, a greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio. No entanto, não houve impactos expressivos na competitividade desse pilar do agronegócio.

Relatório da ABPA

Dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), divulgados no dia 23 de agosto, relatam que mesmo com o aumento nos custos de produção decorrentes da alta do milho, da soja e do preço do combustível, os demais custos logísticos e da própria produção, a forte diversificação de mercados importadores da proteína animal do Brasil reduziram os impactos da crise.

Os dados da ABPA preveem que a produção de carne de frango em 2018 gire em torno de 13 milhões de toneladas, o que representa um consumo per capita para 2018 estimado em 42 quilos. As exportações da carne de frango brasileiras alcançaram 463,1 toneladas, em julho, que já é o maior fluxo mensal de embarques já registrado na história do setor. Esse robusto desempenho em 2018 gerou receita de US$ 711,1 milhões, saldo 15,7% acima do alcançado em julho do ano passado, com US$ 617,8 milhões.

A previsão da produção de ovos deverá apresentar elevação de cerca de 10% neste ano, chegando a 44,2 bilhões de unidades. O consumo per capita estimado para este ano é de 212 unidades (em 2017, foram 192 unidades). As exportações de ovos totalizaram um volume 59% superior ao período analisado no ano de 2017, o que representa 5,8 mil toneladas de ovos, o que em receita alcança a incrível monta de US$ 9,33 milhões de dólares.

Confira o Relatório Anual da ABPA, clique aqui.

Fonte CFMV